Programas – LF Aligner

Voltando com o blog aos poucos, hoje falarei de outro programa que ajuda a nossa vida: LF Aligner.
Infelizmente, só fui descobri-lo há poucos dias, meio por acaso. Como o nome sugere, ele é um programa que alinha um documento e sua tradução, resultando em uma memória de tradução.
Quando fui testá-lo, estava meio cética. Mesmo traduzindo com CAT Tools, não é raro eu unir o que antes eram duas sentenças e separar o que era uma só. Tinha certeza de que isso propagaria desalinhamentos por toda a memória, mas não. Um programa chamado Aligner realmente alinha!
Surgem aqui e ali algumas correspondências erradas ou nulas, mas arrisco dizer que de uma tradução bem disforme em relação ao original, ele criou uma memória 90% correta.
E o uso no Windows é muito simples. Não é necessária instalação: basta executar o programa e seguir suas instruções intuitivas (no primeiro uso, ele demora mais a abrir, tanto que eu achei que funcionasse por linha de comando).
Minha única recomendação é não usar o editor gráfico deles para corrigir os erros de alinhamento, mas o Excel. Não sei se foi por conta do tamanho da memória com que trabalhei, mas o editor do próprio programa foi muito lento.

ss (2014-10-03 at 03.39.13)

Anúncios

Legendagem com CAT – Processo

Já falei um pouco de como trabalho usando CATs para legendagem, mas ainda não falei como é o processo geral, então vamos a ele:
1. Preparação do arquivo

O primeiro passo do processo é preparar o arquivo para a tradução na CAT. Com arquivos .srt, não é necessário, pois o OmegaT identifica esse formato. No entanto, como trabalho com o formato .ass, preciso passar por esta etapa.

Trata-se de exportar a legenda em formato .txt e retirar os marcadores de quebra de linha (\N).
2. Tradução na CAT

Depois de o arquivo estar pronto, é só traduzi-lo na CAT Tool e ir criando os glossários conforme a necessidade. Depois de pronto, gero o arquivo no idioma alvo e colo o texto de volta no arquivo da legenda com o tempo marcado. Antes, porém, já gosto de passar um corretor ortográfico.
3. Revisão com o vídeo

Agora, com a legenda traduzida, assisto ao vídeo corrigindo os eventuais erros. Como eu não assisto ao vídeo enquanto traduzo na etapa 2, a revisão inclui vários obrigado<>obrigada, você<>vocês e é<>sim. Nesta revisão, o foco é nesse tipo de erro, mas também acaba-se achando erros de concordância, typos etc.

Eu gosto de fazer esta etapa com a fonte da legenda bem maior do que o padrão. Os erros parecem ficar mais evidentes assim.
4. Revisão de texto

Mais uma revisão, agora focada no texto a fim de se corrigir erros gramaticais e de ortografia. Ao final, passo um corretor ortográfico e gramatical.
5. Atualização da TM

Depois da etapa 4, eu entrego o arquivo, que ainda passará por revisores. Depois de ter a versão final em mãos, é hora de atualizar a TM (memória de tradução) para que as propagações de flashbacks e de frases repetitivas em episódios futuros já venham com o texto final.

Para isso, eu vou novamente à CAT Tool e gero o arquivo no idioma alvo. Então, exporto o texto da legenda totalmente corrigido e uso o Excel para encontrar as linhas que têm divergências entre as duas versões. Com isso em mãos, basta ir alterando a TM na própria CAT Tool ou em algum gestor de memórias de tradução.