Programas – LF Aligner

Voltando com o blog aos poucos, hoje falarei de outro programa que ajuda a nossa vida: LF Aligner.
Infelizmente, só fui descobri-lo há poucos dias, meio por acaso. Como o nome sugere, ele é um programa que alinha um documento e sua tradução, resultando em uma memória de tradução.
Quando fui testá-lo, estava meio cética. Mesmo traduzindo com CAT Tools, não é raro eu unir o que antes eram duas sentenças e separar o que era uma só. Tinha certeza de que isso propagaria desalinhamentos por toda a memória, mas não. Um programa chamado Aligner realmente alinha!
Surgem aqui e ali algumas correspondências erradas ou nulas, mas arrisco dizer que de uma tradução bem disforme em relação ao original, ele criou uma memória 90% correta.
E o uso no Windows é muito simples. Não é necessária instalação: basta executar o programa e seguir suas instruções intuitivas (no primeiro uso, ele demora mais a abrir, tanto que eu achei que funcionasse por linha de comando).
Minha única recomendação é não usar o editor gráfico deles para corrigir os erros de alinhamento, mas o Excel. Não sei se foi por conta do tamanho da memória com que trabalhei, mas o editor do próprio programa foi muito lento.

ss (2014-10-03 at 03.39.13)

Anúncios

Voxcribe – Segunda tentativa

Contei há poucos dias da minha primeira tentativa, que foi mais um teste, com o Voxcribe. Fiz com um trecho de vídeo em japonês parecido com o tipo de vídeo que representa grande parte de meu trabalho.

Desta vez, testei com um vídeo parecido com esse, mas em inglês. Afinal, o programa foi feito para reconhecer esse idioma. E digo que os vídeos são parecidos pois ambos são de animação e de ficção. Ou seja, os diálogos são dublados e há efeitos sonoros e músicas de fundo.

Infelizmente, minha impressão geral continuou a mesma do primeiro teste. Em um vídeo que deu cerca de 200 legendas, ele acertou bem cerca de 10 delas. E estou sendo bem generosa nessa estimativa.

Para mim, o mais decepcionante nesse segundo teste foi o reconhecimento de fala e separação das legendas ter sido extremamente precário em trechos com quase nenhum ruído de fundo e um inglês mais claro. Na verdade, a impressão geral que eu tive (e que, provavelmente, é bem tendenciosa) foi de que o programa se saiu melhor em trechos com música ou ruído de fundo do que em trechos com o áudio mais limpo.

Enfim, para o meu uso, ficou óbvio que o programa não serve. Caso algum dia eu me depare com uma legendagem de uma palestra, testarei novamente, pois esse é para ser o ponto forte do programa.

Voxcribe – primeira tentativa

Esses dias no grupo de tradutores e intérpretes do Facebook, mencionaram o Voxcribe. Não foi a primeira vez que tinha ouvido falar do programa, mas foi a primeira vez que resolvi testá-lo.

É um programa que reconhece áudio em inglês de um dado vídeo e cria a legenda .srt com o texto transcrito automaticamente. Ele é pago de acordo com o uso e o usuário recém-cadastrado ganha 60 minutos como teste.

Primeiras impressões do programa

É um programa pesado. O seu instalador tem 1,3 Gb e os requisitos mínimos já colocam 4 Gb de RAM. Porém, nada anormal para quem trabalha com a área audiovisual.

Apesar disso, o programa roda perfeitamente, sem travar nem enroscar. A interface é bem intuitiva e minimalista. Facílimo de usar.
Funcionalidade

Agora vamos ao que interessa: se o programa faz a legenda bem ou não. Nessa primeira tentativa, eu peguei uma amostra de vídeo que representa cerca de 90% dos meus trabalhos: animação japonesa. Ou seja, diálogos em uma língua não reconhecida pelo programa e com efeitos sonoros e músicas de fundo.

Obviamente, eu não esperava nada do texto em si, e realmente nada foi o que eu obtive. No entanto, tinha esperanças de que a marcação do tempo já viesse mais ou menos feita. Ao menos as partes sem muito ruído de fundo.

Infelizmente, não obtive muitos resultados nesse quesito. O programa deixou de identificar falas em certos momentos e identificou falas inexistentes até em momentos de ruído mínimo, o que eu achei bastante estranho.
Enfim, por enquanto o programa não atende às minhas necessidades. Pretendo em breve fazer um teste com um episódio inteiro, e não só um trecho como desta vez.

Pelos motivos citados (não ser inglês, efeitos sonoros e música de fundo), acho difícil que os resultados sejam muito diferentes dos que já obtive, mas, por enquanto, não custa tentar. Também procurarei programas que transcrevam em japonês.

Programas – ManicTime

Ao contrário dos programas que recomendei até agora (Gondendict, Pomodoro do Arara e Archivarius), o ManicTime não é um programa útil em si. No entanto, é um programa que eu considero divertido. Ele controla o tempo que você passa em cada programa no computador, com direito a dizer quanto tempo se passou em cada site. Resumindo: ele mede a produtividade e procrastinação.

Embora o programa em si não faça nada além de medir, é interessante porque ele permite que conheçamos melhor nossos limites. Por exemplo, eu sei que depois de 7 horas de trabalho real em um dia, eu já fico bem mais lenta. Sei que entre 5 e 6 horas por dia é um ritmo bom: significa que eu não procrastinei muito e que trabalhei sem me esgotar. Abaixo segue um exemplo de um dia “bonito” de produção minha:

manictimedia

O “Java Platform” é o OmegaT.

Percebam que dá para ver exatamente onde foram os intervalos dos tomates. Além disso, ele exibe outros gráficos de informações. Por exemplo, o gráfico abaixo mostra quanto tempo passei em cada programa durante uma semana.

manictimesemana

(Sim, escolhi deliberadamente uma semana em que fui bastante produtiva. Na verdade, até demais, já que trabalhei no meu fim de semana para cumprir o prazo.)

Como disse antes, o programa em si não faz nada, mas é interessante de analisar os dados que ele tem a oferecer.

Parece que o Rescue Time faz a mesma coisa, mas não cheguei a experimentar.

Programas – Archivarius

O programa recomendado de hoje é o Archivarius 3000, um programa para pesquisa em documentos. O seu uso é bem simples: escolhe-se quais arquivos se quer indexar (limitado a 10 mil na versão trial) e, quando for necessário, procura-se um determinado texto dentro dele. Rápido, leve, eficiente e intuitivo.

Se não bastasse, ele considera também as flexões das palavras. Por exemplo, ao definir o idioma português e procurar “arrumadas”, o programa também faz busca por todas as palavras derivadas de “arrumar”. Obviamente, também é possível desabilitar essa função quando se quer exatamente um termo específico.

É uma mão na roda para quando relembram de episódios (às vezes mais de cem episódios) anteriores e também para pesquisa em arquivos pessoais.

Programas – Pomodoro do Arara

Não vou entrar no mérito do que se trata a técnica Pomodoro. Aqui já temos informações boas a respeito.

Porém, deixo a sugestão de um site que serve de cronômetro para a técnica: o Pomodoro do Arara. Ao contrário do TomatoTimer, que eu costumava usar, o do Arara permite que você altere o tempo de produção, o de descanso e outras variáveis. Graças a isso, descobri que, para mim, rende mais fazer tomates de 35 minutos com descansos de 7.

Para acessar essas opções, basta clicar no “Settings” no menu superior.

Programas – GoldenDict

Começando uma série de publicações de programas que uso e que facilitam minha vida. O primeiro é o Goldendict. Trata-se de um gerenciador de dicionários que trabalha com diversos formatos (entre eles, o .bgl da Babylon) e também com sites como Wikipedia e Urban Dictionary através de placeholders.

Como funciona?
Estou lá traduzindo uma frase e me deparo com uma palavra que preciso pesquisar, seja por não conhecê-la, seja por não estar me lembrando daquela tradução certa. Em vez de ter que abrir programas ou sites para pesquisar a palavra, basta selecioná-la e usar o atalho programado (por padrão, Ctrl+C+C). Com isso, abre uma pequena janela mostrando os termos que ela achou tanto nos dicionários locais quanto nos sites.

Janela do GoldenDict para a palavra "calico".

Janela do GoldenDict para a palavra “calico”.

Dicionários
É possível baixar alguns dicionários locais gratuitamente no Babylon. Recomendo muitíssimo o do Ivo Korytowski, que também tem sua versão paga e atualizada, e também os do Babylon para uma pesquisa mais genérica.